sexta-feira, 22 de agosto de 2008

| A Mutualidade na Vida da Igreja |

A Mutualidade na Vida da Igreja

Propósito de Deus: Vida como FamíliaQuais são os mandamentos que a Palavra de Deus tem para os relacionamentos entre irmãos?Existem expressões comuns, tais como: “Uns aos outros”, “Mutuamente”, “Reciprocamente”Que demonstram este princípioEm relação ao amor 17 vezes - amai-vos uns aos outrosEf 4:32 - Sede benignos uns para com os outrosRm 15:7 - Acolhei-vos uns aos outros1Pe 5:14 - Saudai-vos uns aos outrosTg 5:16 - Orai uns pelos outrosRm 12:16 - Tende o mesmo sentimento uns para com os outrosI Co 12:25 - Tende igual cuidade uns para com os outrosGl 6:2- Levai as cargas uns dos outrosEm relação ao EnsinoCl 3:16 - Aconselhai-vos mutuamenteCl 3:16 - Instruí-vos mutuamenteI Ts 5:11 - Edificai-vos reciprocamenteRm 15:14 - Admoestai-vos uns aos outrosHb 3:13 - Exortai-vos mutuamenteEm Relação aos ErrosCl 3:13 - Suportai-vos uns aos outrosEf 4:32 - Perdoai-vos uns aos outrosTg 5:16 - Confessai vossos pecados uns aos outrosI Ts 5:13 - Vivei em paz uns com os outrosEf 5:21 - Sujeitai-vos uns aos outrosEm Relação ao ServiçoGl 5:13 - Sede servos uns dos outrosI Pe 4:10 - Servi uns aos outrosI Pe 4:9 - Sede mutuamente hospitaleirosEm Relação à ComunhãoI Jo 1:7 - Mantemos comunhão uns com os outrosMutualidades que devemos evitarCl 3:9 - Não mintais uns aos outrosTg 4:11 - Não faleis mal uns dos outrosTg 5:9 - Não vos queixeis uns dos outrosRm 14:13 - Não nos julguemos uns aos outrosGl 5:26 - Provocando-nos uns aos outros e tendo inveja uns dos outrosGl 5:15 - Se vos mordeis e devorais uns aos outrosAmai-vos uns aos outroJo 13:34 - Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outrosJo 13:34 - Assim como eu vos amei, que também vos amei uns aos outrosJo 15:12 - O meu mandamento é este, que vos ameis uns aos outros, como eu vos ameiRm 12:10 - Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternalRm 13:8 - A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outrosI Ts 3:12 - E o Senhor vos faça crescer, e aumentar no amor, uns para com os outrosI Ts 4:9 - No tocante ao amor fraternal, não há necessidade de que eu vos escreva, porque vós mesmos já estais instruídos por Deus que deveis amar uns aos outrosII TS 1:3 - Irmãos, cumpre-nos dar sempre graças à Deus no tocante a vós outros, pois ... vosso mútuo amor de uns para com os outros vai aumentandoI Pe 1:22 - Amai-vos de coração uns aos outrosI Pe 4:8 - Acima de tudo, porém, tende amor intenso amor uns para com os outros, porque o amor cobre uma multidão de pecadosI Jo 3:11 - Porque a mensagem que ouvistes desde o princípio é esta, que nos amemos uns aos outrosI Jo 3:23 - Ora, o seu mandamento é este... que nos amemos uns aos outros, segundo aquilo que nos ordenouI Jo 4:6,7 - Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus, e todo o que amam é nascido de DeusI Jo 4:11 - Amados, se Deus de tal maneira nos amou, devemos nós também amar uns aos outrosI Jo 4:12 - Ninguém jamais viu a Deus, se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor é em nós aperfeiçoadoII Jo 5 - E agora, senhora, peço-te, não como se escrevesse mandamento novo, senão o que tivemos desde o princípio, que amemo-nos uns aos outros.Uma Disputa entre FerramentasAs ferramentas de um carpinteiro realizaram uma reunião, tendo o Irmão Martelo na direção da mesma. A assembléia o havia informado que ele deveria sair da carpintaria, pelo fato de pregar fazendo muito barulho. Mas ele respondeu: "Se eu tenho que sair da carpintaria, exijo que a Irmã Broca faça o mesmo, pois ela é insignificante e só sabe ficar dando volyas e mais voltas, fazendo uns furinhos sem importância". A Irmã Broca se pôs em pé e declarou: "Pois bem, eu saio, mas o Irmão Parafuso terá que sair também. Ele sempre tem que dar voltas e mais volyas, como eu, antes que possa ser de alguma utilidade". Ao ouvir isto, o Irmão Parafuso declarou: "Se vocês querem que eu vá, tudo bem! Só que a Irmã Plaina tem que sair também. Ela só realizou uma obra com profundidade". Diante disso a Irmã Plaina respondeu: "Está ótimo, mas junto comigo vai também a Irmã Régua. Ela vive medindo os demais como se fosse a única retinha". A Irmã Régua criticou por sua vez o Irmão Papel de Lixa dizendo: "O que vamos então fazer com ele? Ele é muito áspero e rude e vive tendo atritos com todo mundo". O Irmão Papel de Lixa concordou em sair, mas acusou o Irmão Serrote dizendo que ele é um grande enganador. Ele sempre parece que vai numa direção, mas volta sempre para o mesmo lugar, e pelo que parece ele não gosta de ver ninguém inteiro; vive dando cortadas em todos! O Irmão Serrote, por sua vez acusou o Irmão Prego dizendo que a vida dele é espetar os outros, ferindo a todos com a sua língua pontuda; e o pior de tudo, é que ele ainda influencia o Irmão Martelo para ser seu cúmplice, neste horrivel trabalho de sair ferindo a todos. "Está certo, está certo!" disse o Irmão Prego. Se eu devo sair, por ferir e fazer buracos nos outros, então exijo que o Irmão Torno também seja excluído. Olha só o testemunho dele! É muito pior do que o meu. Todos os que se aproximam dele, levam aquele arrocho. A única coisa que ele sabe fazer é ficar apertando todo o mundo; todos morrem de medo dele.Em meio a discussão, entrou o carpinteiro com o propósito de trabalhar. Colocou o seu avental e se dirigiu à mesa pensando em fazer um pílpito de madeira. Este seria colocado no salão da igreja, de onde o pregador faria suas mensagens. No seu trabalho o carpinteiro utilizou o Irmão Martelo, o Irmão Serrote, a Irmã Plaina, a Irmã Régua, o Irmão Papel de Lixa, o Irmão Prego, enfim todos os irmãos e irmãs da carpintaria. Todos contribuiram para que o evangelho fosse pregado daquele púlpito de madeiraDepois de terminado o trabalho, lá estava o lindo púlpito de madeira! Diante disso o Irmão Martelo que presidia a discussão se levantou e disse: "Irmãos: Acho que ficou claro para todos nós o que aconteceu hoje. Não precisamos ficar brigando e acusando uns aos outros, pois individualmente, somos realmente problemáticos; mas coletivamente somos usados pelo Filho do Carpinteiro (Jesus)"."Somos Cooperadores de Deus" (I Co 3:9).Ah! Quantos cristãos são exatamente como aquelas ferramentas e vivem falando mal uns dos outros, simplesmente porque os outros não fazem as coisas conforme o seu parecer. Todas as acusações contra cada ferramenta eram verdadeiras, no entanto ocarpinteiro fez o uso de todas elas para produzir aquele púlpito. Para cada estágio do seu trabalho ele usou uma certa ferramenta e, nesse sentido, nenhuma outra serviria. Em outros serviços por ele realizados, algumas ferramentas não precisavam ser utilizadas, mas isso não significa que elas não tenham valor ou utilidade.Oh! amado irmão e irmã, tenhamos cuidado em criticar e menosprezar as ferramentas do nosso Senhor; todas elas são preciosas e úteis "so Seus olhos", na realização "do Seu trabalho".Texto selecionado por Delcio Meireles

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial