domingo, 7 de dezembro de 2008

Páscoa


Embora infelizmente, hoje em dia a páscoa seja usada como pretexto para a venda de chocolates, ela tem um significado muito especial para os cristãos.
A páscoa inicialmente comemorada pelo povo hebreu, teve a partir do sacrifício de Jesus uma abrangência muito maior, alcançando toda a humanidade.
A páscoa do povo judeu (ou pessach, o "tempo de nossa liberdade"), é a celebração da transformação das doze tribos descendentes do patriarca Jacob em um povo bem o como da sua saída do Egito em direção a terra prometida por Deus.
Para os cristãos, entretanto, a páscoa é a mais importante das celebrações cristãs, uma vez que comemora a ressurreição de Cristo, sinal e prova do final de um tempo, o tempo da lei, em que o homem só poderia ser salvo se cumprisse todos os mandamentos estabelecidos por Deus (Mateus 11:13) e o início de um novo tempo, o tempo da graça, em que Deus provê para nós a salvação, a concretização das promessas de Deus, feitas através dos profetas de Israel.
O nascimento, a vida, a morte e a ressurreição de Jesus, mostram que ele é o Messias, o Cristo das profecias.
  • Ele nasceu de uma virgem pelo poder poder do Espírito Santo (Mateus 1:18-25 - Isaías 7:14), curou cegos, coxos, leprosos, ressuscitou pessoas (Isaías 35:5-6) e ensinou a justiça de Deus (Isaías 61:1).
  • Assim como na páscoa dos judeus o sangue do cordeiro livrou (salvou) o povo Hebreu do anjo da morte, na praga da morte dos primogenitos (Exodos12), assim também, o sangue de Jesus, o Filho de Deus, foi derramado uma só vez e para sempre, em favor dos pecadores, livrando-os da morte eterna e trazendo-lhes a salvação (Hebreus 10:8-9).
  • A morte de Jesus ocorreu na época do sacrifício do cordeiro ( páscoa ), para que todos entendessem que Ele era o Cristo das profecias.
  • A destruição do Templo, no ano 70 AD, aboliu também o culto de sacrifícios de cordeiros entre o povo de Israel, que não aceitou o sacrifício de Jesus Cristo.
  • No momento da morte de Jesus na cruz, o véu do santuário no templo de Jerusalém, que fazia separação entre o "Santo Lugar" e o "Santo dos Santos", se rasgou de alto a baixo em duas partes (Mateus 27:51) para mostrar que a partir deste momento, o homem teria acesso direto a Deus através de Jesus.
  • Do mesmo modo como Abraão estava disposto a sacrificar seu filho Isaque por amor a Deus, assim também Deus, sacrificou seu próprio Filho, ressuscitando-o três dias depois, demonstrando também assim, seu grande e maravilhoso amor pela humanidade.
  • Jesus esteve enterrado por três dias (assim como Jonas esteve na barriga do peixe - Jonas 1:17), depois disso ressuscitou, comeu e bebeu com seus discípulos, foi visto por mais de quinhentas pessoas (1 Coríntios 15:3-8) e depois de 40 dias subiu ao céu a vista de muitos (Atos 1:6-9).
A páscoa deve ser comemorada com alegria, pois nos traz à lembrança o infinito amor de Deus por nós e a certeza da salvação de nossas almas pela sua graça através da morte e ressureição de Jesus que ocorreu durante a páscoa.

Feliz páscoa,
Achando Paz Com Deus.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial